Seguidores

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Poetas da Nossa Terra





Sabedoria
  Desde que tudo me cansa,
Comecei eu a viver.
Comecei a viver sem esperança...
E venha a morte quando
Deus quiser.

Dantes, ou muito ou pouco,
Sempre esperara:
Às vezes, tanto, que o meu sonho louco
Voava das estrelas à mais rara;
Outras, tão pouco,
Que ninguém mais com tal se conformara.

Hoje, é que nada espero.
Para quê, esperar?
Sei que já nada é meu senão se o não tiver;
Se quero, é só enquanto apenas quero;
Só de longe, e secreto, é que inda posso amar. . .
E venha a morte quando Deus quiser.

Mas, com isto, que têm as estrelas?
Continuam brilhando, altas e belas.

José Régio, in 'Poemas de Deus e do Diabo'

3 comentários:

Magia da Inês disse...

♡✿彡╮

Bonito demais!
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil.
•°♫¸.♪♫°

Maria Rodrigues disse...

Lindo poema, excelente escolha.
Beijinhos
Maria

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido amigo

Já há muito tempo que estou para lhe dizer isto: Poeta não é só aquele que faz rimar as palavras, mas também quem tem a sensibilidade para as sentir, e você tem.
Sempre escolhas lindas.

Um beijinho com carinho
Sonhadora