Seguidores

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Poetas da Nossa Terra




Músicas

Desculpo-me dos outros com o sono da minha filha.
E deito-me a seu lado, 
a cabeça em partilha de almofada.

Os sons dos outros lá fora em sinfonia
são violinos agudos bem tocados.
Eu é que me desfaço dos sons deles
e me trabalho noutros sons.

Bartók em relação ao resto.

A minha filha adormecida.
Subitamente sonho-a não em desencontro como eu 
das coisas e dos sons, orgulhoso 
e dorido Bartók.

Mas nunca como eles
bem tocada
por violinos certos.



Ana Luísa Amaral
Minha Senhora de Quê
 
 

5 comentários:

Albertina Granja disse...

E como é maravilhoso ouvir musica bem tocada por violinos certos....!!!!!!
Tenha um bom fim de semana Andrade.

piedadevieira disse...

Que lindo!
Ouvir música e ao mesmo tempo se envolver com o embalar do sono.
Magia pura. Tempo de serenidade.
Beijos

Mara disse...

Zé, meu querido!
Gostei muito desse poema, não conhecia.
Beijo carinhosos de "Boa noite".
Mara

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Como sempre um poema lindo...ao som da música é maravilhoso.

Um Beijinho e resto de bom fim de semana.

Sonhadora

Isamar disse...

Um lindo poema de amor maternal onde se conjuga, e muito bem, o som dos violinos. O partilhar da almofada,os sonhos que nos ocorrem nesses momentos pertencem a memórias inolvidáveis da vida de uma mãe.

Beijinhos

Bem-hajas!