Seguidores

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Poetas da Nossa Terra



De


Entrei no café com um rio na algibeira
e pu-lo no chão,
a vê-lo correr
da imaginação...

A seguir, tirei do bolso do colete
nuvens e estrelas
e estendi um tapete
de flores
a concebê-las.

Depois, encostado à mesa,
tirei da boca um pássaro a cantar
e enfeitei com ele a Natureza
das árvores em torno
a cheirarem ao luar
que eu imagino.

E agora aqui estou a ouvir
A melodia sem contorno
Deste acaso de existir
-onde só procuro a Beleza
para me iludir
dum destino.


++++++++++++++++++++++

8 comentários:

Flor da Vida disse...

Nossa amigo! Que lindo e profundo esse poema! Ele traz à imaginação cenas deslumbrantes! Obrigada por tão magnífico post! Amigo, que você tenha uma ótima e abençoada semana! Carinhos... Bjsss

Isa disse...

Quanta sensualidade neste poema!
Gostei.
Beijo.
isa.

Rosane Marega disse...

Nossa, Lindo!!!
Beijossssssss

EMOÇÕES disse...

Zé, meu querido....Boa tarde!
Gosto muito desse poeta português nascido na cidade do Porto.
A poesia que escolheste para postar é uma das minhas preferidas.
Gosto muito também dessa que te deixo, com muito carinho e admiração, pelo homem romântico e sensivel que tens demostrado ser ao escolher as tuas postagens.
Beijos...meu lindo!

Chove...

Mas isso que importa!,
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir a chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu?

Chove...

Mas é do destino
de quem ama
ouvir um violino
até na lama.

José Gomes Ferreira

MEUS POEMAS disse...

Olá meu amigo, bom dia!
Muito lindo o poema, adorei!
Bjão pra vc!
Gena

LOURO disse...

Lindo poema!Gostei!!!
Parabéns pela escolha...
Abraço,
Lourenço

FlorAlpina disse...

Bonito poema!
Até onde nos pode levar a imaginação!
E o poder, de trazer um rio na algibeira...

Bjs dos Alpes

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Muito belo e sensual este poema de José Gomes Ferreira.
Como sempre boas escolhas.

Beijinhos com carinho
Sonhadora