Seguidores

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Poetas da Nossa Terra

GOZO




Desvia o mar a rota
do calor
e cede a areia ao peso
desta rocha
Que ao corpo grosso
do sol
do meu corpo
abro-lhe baixo a fenda de uma porta
e logo o ventre se curva
e adormece
e logo as mãos se fecham
e encaminham
e logo a boca rasga
e entontece
nos meus flancos
a faca e a frescura
daquilo que se abre e desfalece
enquanto tece o espasmo o seu disfarce
e uso do gozo
a sua melhor parte


Maria Teresa Horta

++++++++++++++++++++++++++

5 comentários:

Sonhadora disse...

Meu amigo
Lindo poema, como sempre escolha muito bem, adorei.

Beijinhos
Sonhadora

Mara disse...

Boa tarde José1
Gosto muito das poesias de Maria teresa Horta.
Parabéns pela escolha.
Bjs

Memória de Elefante disse...

M.Tereza Horta traduz tão bem esta vida, um mar certo demais
em torno desta pedra:
em que a solidão inventa um tempo
além da divisão de horas e cansaços.

Gostei imenso!

Um beijo

Argos disse...

Olá

Não conhecia este poema e gostei muito.
Obrigado por compartilhar.

Abraço

Isa disse...

Assisti deliciada a uma entrevista
com esta escritora,há dias.
E hoje encontro um poema muito bom e que ñ conhecia...
Beijo.
isa.