Seguidores

sábado, 23 de maio de 2009

ARY dos SANTOS



M O R R E U H Á 25 A N O S




Auto-RetratoPoeta é certo mas de cetineta


fulgurante de mais para alguns olhos


bom artesão na arte da proveta


narciso de lombardas e repolhos.



Cozido à portuguesa mais as carnes


suculentas da auto-importância


com toicinho e talento ambas partes


do meu caldo entornado na infância.



Nos olhos uma folha de hortelã


que é verde como a esperança que amanhã


amanheça de vez a desventura.



Poeta de combate disparate


palavrão de machão no escaparate


porém morrendo aos poucos de ternura.



José Carlos Ary dos Santos


#

3 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Carinho é plumagem bonita, macia, gostosa de sentir.
Quem dá afeto se fortifica; quem o recebe se acalma,
se tranqüiliza, se equilibra.

Um ótimo final de semana, com muito carinho.
Abraço

Isa disse...

Há poemas de Ary que são um marco na Poesia.
As Palavras são fortes,atiradas com garra,revolta incontida.
Bom fim de semana.
Beijo.
isa.

Paula Raposo disse...

25 anos! Como o tempo voa...