Seguidores

domingo, 23 de junho de 2013

Poetas da Nossa Terra




Envolve-me amorosamente


Envolve-me amorosamente
Na cadeia de teus braços
Como naquela tardinha...
Não tardes, amor ausente;
Tem pena da minha mágoa,
Vida minha!
Vai a penumbra desabrochando
Na alcova
Aonde estou aguardando
A tua vinda...
Não tardes, amor ausente!
Anoitece. O dia finda...
E as rosas desfalecendo
Vão caindo e murmurando:
- Queremos que Ele nos pise!
Mas, quando vem Ele, quando?...
Canções

António Boto

3 comentários:

Solange disse...

absolutamente lindo!
é de uma simplicidade fascinante..
amei!!

bjs.Sol

Albertina Granja disse...

É um belo poema de António Boto....!!!
É tão simples mas ao mesmo tempo profundo...!!!!
Lindo..., mesmo.....
Albertina

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido amigo

Voltando (embora ainda devagar), mas com muitas saudades e agradecendo o carinho deixado durante a minha ausência.

Um beijinho com carinho
Sonhadora