Seguidores

terça-feira, 18 de junho de 2013

Poetas da Nossa Terra





                                        Pérola solta

Sem que eu a esperasse,
Rolou aquela lágrima
No frio e na aridez da minha face.
Rolou devagarinho...,
Até à minha boca abriu caminho.
Sede! o que eu tenho é sede!
Recolhi-a nos lábios e bebi-a.
Como numa parede
Rejuvenesce a flor que a manhã orvalhou,
Na boca me cantou,
Breve como essa lágrima,
Esta breve elegia.

José Régio, Filho do Homem

3 comentários:

Albertina Granja disse...

José Régio...!!!
Os seus poemas são "poderosos"..!!!
E este é bem o exemplo disso...
Albertina Granja

Célia sousa disse...


Conheço pouco este poeta,
Mas este que li é lindo!

Abraço Célia Sousa

Tais Luso disse...

Hoje ando por aqui, lendo e conhecendo os poetas da tua terra.Alguns conheço; outros não.
Estou adorando...
beijos!