Seguidores

domingo, 5 de maio de 2013

Poetas da Nossa Terra


A TODAS AS MÃES



Quando eu Nasci


Quando eu nasci,
ficou tudo como estava,
Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais...
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém...

P'ra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe...

José Régio
**************************************** 

5 comentários:

Olinda Melo disse...


Bom Dia,Caro Andradarte

Muito obrigada por nos ter trazido este poema maravilhoso de José Régio.

Muito obrigada pela homenagem e assim levo daqui a minha parte. :)

Um bom domingo.

Abraço

Olinda

Albertina Granja disse...

Que lindo poema de José Régio...!!!!
Tão forte, tão profundo, tão sentido....!!!!
Pela parte que me toca..., muito obrigada...
Albertina

isa disse...

Que belo Poema de José Régio.
Pelo "bocadinho" que me toca, obrigada.
Foi um dia mt lindo,calmo e ternurento.
Beijo.
isa.

Maria Ribeiro disse...

Lindo, ANDRADARTE!

Beijinho

Mara disse...

Olá....
Que belo poema.Gostei muito.
Beijo cheio de saudades....