Seguidores

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Poetas da Nossa Terra




modo de amar

 prometo ser-te fiel se mo fores
também, não é certo que mo venhas a
ser. por isso, já to perdoo

prefiro partir assim para o resto da
vida. assim, com os olhos abertos à
frustração e talvez à vulnerabilidade

não prevejo nada em concreto, acredita,
não tenho olhos para outras moças,
só o digo assim por ser verdade

que tarde ou cedo havemos de encontrar
nos outros motivos de inusitado
interesse, e depois, pergunto,

vale mais que acordemos um amor
sobreposto ao futuro, um amor agora
que tenha conhecimento do futuro

e não esperar mais nada senão
a verdade. a decadente verdade que
chega já depois dos primeiros beijos

valter hugo mãe, in 'contabilidade'
***********************************************

5 comentários:

Olinda Melo disse...


Um modo de amar peculiar, sem surpresas, com as cartas todas em cima da mesa.

Abraço

Olinda

isa disse...

Um modo de amar desconcertante mas real.Será?
Ai os Poetas deixam-me,às vezes,sem palavras.
Beijo.
isa.

Vento disse...

descocertante, como diz a Isa
também real
sim, pode ser real

tal como Walter Hugo é bem real e também desconcertante e um poeta que de quem muito gosto

é lindo o poema
foi uma excelente escolha, Andradarte

beijo

Albertina Granja disse...

Parece-me de facto uma estranha forma de amar.....!!!!
Mas os poetas têm destas coisas....

Argos disse...

Olá Andrade,

Este post fez-me sorrir. Ontem estive a "discutir" a obra, por vezes desconcertante ( no bom sentido), de Valter Hugo Mãe com uns amigos.

Abraço grande