Seguidores

sábado, 8 de dezembro de 2012

Poetas da Nossa Terra





                                           DAQUI DESTE PAÍS



DAQUI DESTE PAÍS DO MEU DOER TE ESCREVO MEU AMOR
DAQUI DA MINHA DOR QUEM BEM ME QUER
ESTÁ LONGE MEU AMOR DAQUI DESTE CINZENTO
DE LATA E VENTO TE SOFRO EM CADA DIA AMOR
AQUI NESTE RELENTO NESTE TORMENTO
O PÃO NASCE SEM SUOR
AQUI NESTES ANDAIMES DE CHUVA
NÃO NASCEM CACHOS DE UVA NÃO BEBO O VINHO
QUE AMBOS PISÁMOS SÓ BEBO O ACENO QUE TROCÁMOS
AQUI SEMPRE ESTRANGEIRO SEM BARCA BELA
SEM NAU DAS DESCOBERTAS
AQUI DÓI O AMOR DÓI A SAUDADE
SÃO FERIDAS SEMPRE ABERTAS
DAQUI DESTE PAÍS COM ESTAS LETRAS
INVENTO A ALEGRIA AMOR
DAQUI DESTE PAÍS COM ESTAS LÁGRIMAS
TE ESCREVO E CONTO A MINHA DOR
AQUI EM ALAMEDAS DE FUMO
TIJOLOS E FIOS DE PRUMO NÃO NASCE O SOL
AQUI COM ESTE CÉU A SANGRAR
COM O TEU BORDADO A GRITAR NO MEU LENÇOL
AQUI COM ESTE INÚTIL LUAR ABERTO DE PAR EM PAR
NESTA JANELA DESTE PAÍS TE DIGO - ATÉ UM DIA AMOR

 
                                                                              Mário Contumélias




3 comentários:

isa disse...

E amanheceu nevoeiro.
Um manto bem espesso,frio e triste que cobre este triste país...
Um lindíssimo Poema que é um grito de revolta.
BFS.
Beijo.
isa.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido amigo

Um poema infelizmente muito actual e cada vez mais.
Uma escolha perfeita como sempre.
Bom fim de semana

Beijinho com carinho
Sonhadora

Albertina Granja disse...

Olá Andrade...
Que bonito poema que nos fala do amor, da saudade e da angústia de estar longe....!!!
Parabéns pela escolha....
Tenha uma boa semana
Albertina