Seguidores

domingo, 21 de outubro de 2012

Poetas da Nossa Terra





«Uma perda impossível de suportar»
 é assim que Francisco José Viegas 
secretário de Estado da Cultura, 
fala na morte de Manuel António Pina,
 jornalista, poeta, colunista, e Prémio Camões 2011.

 O MEDO

  Ninguém me roubará algumas coisas,
nem acerca de elas saberei transigir;
um pequeno morto morre eternamente
em qualquer sítio de tudo isto.

É a sua morte que eu vivo eternamente

quem quer que eu seja e ele seja.
As minhas palavras voltam eternamente a essa morte
como, imóvel, ao coração de um fruto.

Serei capaz

de não ter medo de nada,
nem de algumas palavras juntas?


Manuel António Pina, in "Nenhum Sítio"

****************************



4 comentários:

isa disse...

Uma grande perda,realmente.
Gostei da escolha deste Poema.
Bom domingo.
Beijo.
isa.

Solange disse...

uma bela homenagem com a escolha deste poema..

bjs.Sol

Albertina Granja disse...

É uma homenagem sentida e muito bonita...!!
Uma boa semana para si Andrade...
Albertina

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido amigo

Foi uma grande perda para a cultura do nosso País.
Um poema muito bem escolhido como sempre.

Um beijinho com carinho
Sonhadora