Seguidores

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Poetas da Nossa Terra



MINIBIOGRAFIA


Não me quero com o tempo nem com a moda
Olho como um deus para tudo de alto
Mas zás! do motor corpo o mau ressalto
Me faz a todo o passo errar a coda.

Porque envelheço, adoeço, esqueço
Quanto a vida é gesto e amor é foda;
Diferente me concebo e só do avesso
O formato mulher se me acomoda

E se nave vier do fundo espaço
Cedo raptar-me, assassinar-me, cedo:
Logo me leve, subirei sem medo
À cena do mais árduo e do mais escasso.

Um poema deixo, ao retardador:
Meia palavra a bom entendedor.



Luiza Neto Jorge
poèmes
Par le Feu
 

3 comentários:

Albertina Granja disse...

Realmente....., para um bom entendedor, meia palavra basta.....!!!
Não conhecia esta poetisa, mas irei procurar mais poemas seus....!!
Gostei...!!!!

Albertina

Mara disse...

Boa noite Zé!
Eu também não conhecia essa poetisa.
Obrigada pela partilha.Vou procurar conhecer um pouco mais de seus poemas.
Beijo e boa semana.
Com carinho,
Mara

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Um poema lindíssimo...não conhecia.
Espero que a sua Páscoa tenha sido recheada de muito amor e paz.

Beijinho com carinho
Sonhadora