Seguidores

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Poetas da Nossa Terra



REFLEXO

Olho-te pelo reflexo
Do vidro
E o coração da noite

E o meu desejo de ti
São lágrimas por dentro,
Tão doídas e fundas
Que se não fosse:

  o tempo de viver;
  e a gente em social desencontrado;
  e se tivesse a força;
e a janela ao meu lado
  fosse alta e oportuna,

invadia de amor o teu reflexo
e em estilhaços de vidro
mergulhava em ti.


Ana Luísa Amaral
In Anos 90 e Agora
 

10 comentários:

Solange disse...

envolvente e triste..
uma combinação perfeita pra este poema.

bjs.Sol

Mara disse...

...
invadia de amor o teu reflexo e em estilhaços de vidro mergulhava em ti.

Lindo!
Beijo e excelente final de semana.
Com carinho,
Mara

Albertina Granja disse...

A Luisa Amaral tem poemas muito lindos e este é mais um....., apesar de triste...!!!!!
Bom fim de semana

Maria disse...

Nostálgico e lindo poema. Excelente escolha.
Beijinhos
Maria

Magia da Inês disse...

º°♥❤ Olá, amigo!
❤ Uma descrição real da solidão!
º°❤ Boa semana!
❤Beijinhos.
º°❤Brasil

piedadevieira disse...

Estou de volta, amigo, para curtir essas maravilhas.
beijos

armalu,blogspot.com disse...

Lindo , triste mas comovente...
desses que nos ficam na alma e nos fazem o coração pequenino...Parabéns pela escolha.

Miriam de Sales Oliveira disse...

Belo,mas,trite/ até senti a tristeza me invadir.
Abç

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Adoro Maria Luisa Amaral que escreve maravilhosamente bem.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Ana Tapadas disse...

Belo poema.
Eu não conhecia...

Beijinho