Seguidores

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Poetas da Nossa Terra




Retrato do Herói


Herói é quem num muro branco inscreve
O fogo da palavra que o liberta:
Sangue do homem novo que diz povo
e morre devagar  de morte certa.

Homem é quem anónimo por leve

lhe ser o nome próprio traz aberta
a alma à fome  fechado o corpo ao breve
instante em que a denúncia fica alerta.

Herói é quem morrendo perfilado

Não é santo  nem mártir  nem soldado
Mas apenas  por último  indefeso.

Homem é quem tombamdo apavorado

dá o sangue ao futuro  e fica ileso
pois lutando apagado  morre aceso. 

Ary dos Santos

5 comentários:

isa disse...

Belíssimo poema,meu Amigo.
Estou atrasada nos comentários. Mil desculpas.
Beijo.
isa.

Mara disse...

Olá Zé!
Que beleza de poema!
...
dá o sangue ao futuro e fica ileso
pois lutando apagado morre aceso.
Lindo!
Beijo e boa semana.
Com carinho,
Mara

Albertina Granja disse...

ARY DOS SANTOS....!!!!!
Há quanto tempo não lia nada dele...???
Os seus poemas são muito profundos e este, também não foge à regra.....
Gostei.....

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

O eterno Ary...um poema lindo e com a marca dele...uma escolha boa.

Deixo um beijinho com carinho e desejo um bom fim de semana.

Sonhadora

Magia da Inês disse...

♡°
º✿
º° ♥✿
Olá, amigo!
Gostei muito desses versos.
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil

❣✿