Seguidores

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Poetas da Nossa Terra



Deixa a mão
caminhar
perder o alento
até onde se não respira.
Deixa a mão
errar
sobre a cintura
apenas conivente
com nácar da língua.
Só um grito desde o chão
pode fulminá-la.
A morte
não é um segredo
não é em nós um jardim de areia.
De noite
no silêncio baço dos espelhos
um homem
pode trazer a morte pela mão.
Vou ensinar-te como se reconhece
repara
é ainda um rapaz
não acaba de crescer
nos ombros
a luz
desatada
a fulva
lucidez dos flancos.
A boca sobre a boca nevava.

10 comentários:

Solange disse...

a escolha dos poemas que leio aqui, é absurdamente magnífica..

bjs.Sol

Isamar disse...

Erotismo, sensualidade, paixão, amor...caracterizam muitos dos poemas de Eugénio de Andrade que o tornam num dos poetas contemporâneos mais lido,conhecido e admirado.

Muito boa, esta partilha.

Bem-hajas, amigo!

Beijinho

Albertina Granja disse...

Inesgotável a obra poética de Eugénio de Andrade...!!!!!
Quando pensamos que já não há mais.....vem o Andrade e surpreende-nos com mais um belo poema deste tão admirado poeta português.....
Este,é mais um que eu não conhecia......!!!!
Obrigada Andrade.
Tenha um bom dia de S. Martinho e um óptimo fim de semana.

Vivian disse...

...eroticamente lindooooooooo!

bjs, alma linda!

Mara disse...

Boa tarde Zé......
Deixa amão caminhar....ela sabe o caminho.
Beijo e bom final de semana.
Mara

piedadevieira disse...

Nossa que intrepidez!
adorei.
beijos

Magia da Inês disse...

♡°
º✿
º° ♥✿

Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil
♥♡

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Sempre um belo poema que encontro aqui...sempre escolhas muito boas.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Alma Mateos Taborda disse...

Un encanto leer a este insigne poeta. Gracias por compartirlo. Un abrazo.

Ana Tapadas disse...

Meu poeta preferido, amigo!

Beijinho