Seguidores

sábado, 5 de novembro de 2011

Poetas da Nossa Terra


Não Cantes o meu nome em pleno dia


Não cantes o meu nome em pleno dia
não movas os seus ásperos motivos
sob a luz dolorosa sob o som
da alegria

Não movas o meu nome sob as tuas
mãos molhadas do choro doutros dias 
não retenhas as sílabas caídas 
do meu nome da tua boca extinta

Não cantes o meu nome a primavera
já o ameaça hoje principia
a vida do meu nome não o cantcs
com a tua alegria



Gastão Cruz
os nomes
Imagem da Linguagem
Assírio & Alvim
1974









4 comentários:

Isamar disse...

Um poeta algarvio de que muito gosto. Há alguns mais, também algarvios, cuja obra aprecio como Torquato da Luz,Casimiro de Brito, Nuno Júdice, António Ramos Rosa... alguns já aqui apresentados.Falo, claro, dos vivos.
Este sujeito poético, angustiado, desiludido, revoltado...ordena à pessoa amada que não cante o seu nome em pleno dia...
Não compreendemos as razões que o levam a fazer este apelo mas há que respeitá-lo.

Bem-hajas, amigo!

Beijinho

Mara disse...

Boa noite Zé!
Esse poeta eu não conhecia e vou pesquisar mais poemas dele, pois gostei muito desse que postaste.
Beijo e bom final de semana.Com carinho,
Mara

Albertina Granja disse...

Não conhecia este poeta Algarvio...
É a vantagem de vir visitar este blog........, há sempre alguma coisa nova para conhecermos....
Obrigada Andrade e tenha um óptimo fim de semana.

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Mais um poema maravilhoso, não conhecia.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora