Seguidores

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Poetas da Nossa Terra




Porque os outros se mascaram mas tu não

 Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo mas tu não.
 
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão
Porque os outros se calam mas tu não.
 
Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.
 
Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos
Porque os outros calculam mas tu não.

Sophia Mello B. Andersen
Outubro 2000
 


5 comentários:

Mara disse...

Boa noite, meu querido!
fazia algum tempo que a Sophia não aparecia por aqui.
Voltou com um belo poema...
Por seres tão diferente dos outros é que te admiro e te amo.
Beijo carinhoso....
Mara

Isamar disse...

Um dos poemas de Sophia que mais vezes leio. Admiro-a há muitos, muitos, anos e quanto mais a leio mais encantada fico com as suas mensagens. Uma atitude interventiva de grande mérito que faz de Sophia de Mello Breyner uma das Grandes Mulheres do mundo.

Bem-hajas!

Beijinhos

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Um lindo poema de Sophia de Mello Breyner, é um dos que eu gosto mais.

deixo um beijinho
Sonhadora

ONG ALERTA disse...

Bela poesia, beijo Lisette.

Maria disse...

Amigo linda poesia, Sophia Andersen é sempre uma excelente escolha.
Beijinhos
Maria