Seguidores

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Poetas da Nossa Terra



Exaltação



Viver!... Beber o vento e o sol!... Erguer
Ao Céu os corações a palpitar!
Deus fez os nossos braços pra prender,
E a boca fez-se sangue pra beijar!

A chama, sempre rubra, ao alto, a arder!...
Asas sempre perdidas a pairar,
Mais alto para as estrelas desprender!...
A glória!... A fama!... O orgulho de criar!...

Da vida tenho o mel e tenho os travos
No lago dos meus olhos de violetas,
Nos meus beijos extáticos, pagãos!...

Trago na boca o coração dos cravos!
Boémios, vagabundos, e poetas:
- Como eu sou vossa Irmã, ó meus Irmãos!...

Florbela Espanca

7 comentários:

Alma Mateos Taborda disse...

Precioso poema en este post para recordar. Un abrazo.

LOURO disse...

Amigo Andrade!

Bela escolha!!!Palavras para quê Florbela Espanca e um lindo poema...Paabéns pela escolha!!!

Abraço,
Lourenço

Eloah disse...

Lindíssimo! Florbela Espanca é maravilhosa.Parabéns pelo Post.Amei.Um forte abraço Eloah

Mara disse...

Boa noite, meu querido!
Gostei da mudança!
Que belos anjos!Que Eles protejam a ti e a todos nós, teus amigos,que por aqui passamos.
Quanto ao poema de Florbela....

...
Da vida tenho o mel e tenho os travos...
Em certas situações chego a pensar que da vida, pra mim ,só sobraram os "travos"
Beijo carinhoso atravessando o oceano...
Mara

JPD disse...

Fantástico.

Excelente escolha.
Um abraço

Isamar disse...

Haverá soneto de Florbela Espanca que não mexa com os nossos sentimentos? Haverá quem fique indiferente a tão fantásticas metáforas e a um sujeito poético sofrido e melancólico?
Lindoooooo!

Bem-hajas!

Beijinhos

ONG ALERTA disse...

Lindo, estive em Lisboa domingo que calor...beijo Lisette.