Seguidores

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Poetas da Nossa Terra



MULHER-MAIO


Bom dia, minha amiga, digo em Maio
és uma rosa à beira de um tractor
neste campo de Abril onde não caio
a nossa sementeira já deu flor.

Bom dia minha amiga, eu sou um gaio
um pássaro liberto pela dor
tu és a companheira donde saio
mais limpo de mim próprio mais amor.

Bom dia meu amor estamos primeiro
neste tempo de Maio a tempo inteiro,
contra o tempo do ódio e do terror.

Se tu és camponesa eu sou mineiro.

Se carregas no ventre um pioneiro
Dentro de ti eu fui trabalhador.

José Carlos Ary dos Santo


4 comentários:

Argos disse...

Olá Andrade,

Este poema não conhecia, mas gostei, forte como todos os que ele escreveu.

Abraço

Isamar disse...

Um poema com a força explosiva de Ary dos Santos. Gosto muito da sua obra, tanto quanto gostei do Homem. Uma força da natureza em constante erupção. Fazem falta estes homens.

Beijinhos

Bem-hajas!

Meias de Seda (Suzy) disse...

Não conhecia o poema e nem o poeta. Gostei!
Abraços ;)

Mara disse...

Boa tarde, meu querido!
Esse soneto de Ary dos Santos achei muito lindo. Não conhecia.
Gostei demais desses versos...

...
Se tu és camponesa eu sou mineiro.
Se carregas no ventre um pioneiro
Dentro de ti eu fui trabalhador.

Beijo,
Mara