Seguidores

domingo, 8 de maio de 2011

Poetas da Nossa Terra




Esta manhã encontrei o teu nome


Esta manhã encontrei o teu nome nos meus sonhos
e o teu perfume a transpirar na minha pele. E o corpo
doeu-me onde antes os teus dedos foram aves
de verão e a tua boca deixou um rasto de canções.

No abrigo da noite, soubeste ser o vento na minha
camisola; e eu despi-a para ti, a dar-te um coração
que era o resto da vida - como um peixe respira
na rede mais exausta. Nem mesmo à despedida

foram os gestos contundentes: tudo o que vem de ti
é um poema. Contudo, ao acordar, a solidão sulcara
um vale nos cobertores e o meu corpo era de novo
um trilho abandonado na paisagem. Sentei-me na cama

e repeti devagar o teu nome, o nome dos meus sonhos,
mas as sílabas caíam no fim das palavras, a dor esgota
as forças, são frios os batentes nas portas da manhã.

Maria Rosário Pedreira 

**********************************



6 comentários:

isa disse...

Poema misto de saudade e desencanto.
Será?
Mas muito belo.
Beijo.
isa.

OZNA-OZNA disse...

bellisimas letras nos regalas emocionando nuestros sentimientos con ellas, esta asturiana te da infinitas gracias por hacernos participes de ellas y te manda un besin muy muy grande.

Mara disse...

Boa noite, meu querido!
...
e repeti devagar o teu nome, o nome dos meus sonhos,
.....
Que poema belíssimo, adorei.....
Ah, antes que eu esqueça:
Esta manhã encontrei o teu nome nos meus sonhos.....(ele vive lá)
Beijos,
Mara

Evanir disse...

Mesmo que a palavra "obrigado" signifique tanto,
não expressará por inteiro o quanto seu
gesto atencioso e delicado foi importante
para mim no dia de hontem."
Dias da mães...Hoje ja não tenho mais a minha.
Mais sou mãe ..isso faz com
que esse dia fosse menos triste.
E tenho o carinho da sua amizade
Que é tão importante para mim.
Obrigada de todo coração.
beijos,beijos,Evanir.

www.aviagem1.blogspot.com

Isamar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isamar disse...

Maria do Rosário Pedreira, professora da Faculdade de Letras de Lisboa, é uma das poetisas vivas da actualidade que mais admiro. Verto lágrimas quando a leio e releio, releio, releio...
Óptima escolha ,amigo!
Creio que a sua vida afectiva, ou parte dela, está exposta nos seus poemas. Sofrimento, nostalgia, paixão, desencanto, saudade... uma mistura intensa de emoções como deve ser a sua vida.
Bem-hajas!

Beijinho