Seguidores

domingo, 10 de abril de 2011

Poetas da Nossa Terra




Sou de vidro 


Meus amigos sou de vidro
Sou de vidro escurecido
Encubro a luz que me habita
Não por ser feia ou bonita
Mas por ter assim nascido
Sou de vidro escurecido
Mas por ter assim nascido
Não me atinjam não me toquem
Meus amigos sou de vidro

Sou de vidro escurecido
Tenho fumo por vestido
E um cinto de escuridão
Mas trago a transparência
Envolvida no que digo
Meus amigos sou de vidro
Por isso não me maltratem
Não me quebrem não me partam
Sou de vidro escurecido

Tenho fumo por vestido
Mas por assim ter nascido
Não por ser feia ou bonita
Envolvida no que digo
Encubro a luz que me habita 

Lidia Jorge 

10 comentários:

Solange disse...

gostei muito desse poema...
diferente..

bjs.Sol

Multiolhares disse...

todos temos um pouco de vidro escurecido, que tapa a luz qu há em nós
bjs

Sylvia Rosa disse...

Acredito ser esta a defesa que ela usava, como muitas vezes fazemos!
Amigo, tenha uma semana linda e obrigada pelo carinho!
Bj

Cata- Vento disse...

Mais uma algarvia por aqui. Desconhecia este poema de Lídia Jorge e nem sei se tem outros mas gostei muito da metáfora que usa na sua alusão ao vidro. Afinal todos somos frágeis e fortes conforme as situações.O importante é que sejamos verdadeiros.

Gostei muito.

Beijinhos

Bem-hajas!

Mara disse...

Oi, meu querido!
Não conhecia nenhum poema de Lídia Jorge.
Já tive oportunidade de ler os romances “O Vale Da Paixão” e “O Dia dos Prodígios” e pude perceber que seus romances são constituídos por vários planos narrativos, em que o fantástico coexiste com o real. Os problemas sociais coletivos são detectados por meio de figuras humanas de dimensão metafórica ou mítica.
O mesmo senti ao ler este poema.Gostei muito.

Beijos meus...
Com carinho,
Mara

Isa disse...

Tb sou de vidro(todos nós temos essa
faceta frágil!)...
Beijo.
isa.

Rosane Marega disse...

Fragilidade tambem é uma qualidade,afinal ela nos trás o bom senso.
Beijossssssss Andrade

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

este poema bateu forte no fundo de mim...simplesmente maravilhoso, uma bela escolha como sempre.

Deixo um beijinho
Sonahdora

Albertina Granja disse...

Interessante este poema da Lídia Jorge.....
Não conhecia....
E há tanta gente de vidro!!!!

OZNA-OZNA disse...

bellisimo y sublime poema nos regalas, esta asturiana sin esperar ser molestia se queda en tu magica morada cuajada de amor, arte y belleza. un besin muy grande.