Seguidores

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Poetas da Nossa Terra





      BarcaBela


Pescador da barca bela,
 Onde vais pescar com ela,
Que é tão bela,

 Ó pescador?

Não vês que a última estrela
 
No céu nublado se vela?
Colhe a vela,

 Ó pescador!

Deita o lanço com cautela,

 Que a sereia canta bela...
Mas cautela,

 Ó pescador!

Não se enrede a rede nela,
 
Que perdido é remo e vela
Só de vê-la,
 
Ó pescador!

Pescador da barca bela,

 Inda é tempo, 
foge dela,
Foge dela,

 Ó pescador!

Almeida Garrett

9 comentários:

Cata- Vento disse...

Lindíssimo poema! É dos mais bonitos que conheço mas eu sou suspeita porque a minha paixão pela poesia vem de pequenina, do tempo em que em casa se faziam serões de leitura em voz alta e o pai pedia-me, muitas vezes, que lesse este poema.Ouvi-o muitas vezes cantado por uma senhora cujo nome agora não me recordo e ficava extasiada a ouvi-la.

Bem-hajas, amigo!

Beijinho

Teresinha Oliveira disse...

Cuidado com o amor! De repente, encontra-se uma sereia numa gotícula d'água de mar.

Flor da Vida disse...

Poema belíssimo!
Aplaudo-te e agradeço-te, por nos presentear com esse post de extremo bom gosto!

Deixo carinhos pra você, e o desejo de que tenhas uma linda e abençoada semana!
Beijos

Mara disse...

Boa noite, Zé!
Gosto muito dos poemas de Almeida Garrett.este eu não conhecia e gostei muito.
Beijos,
Com carinho...
Mara

Solange disse...

devemos cuidar do nosso amor e não deixar a barca virar..

bjs.Sol

Albertina Granja disse...

Que saudades deste poema!!!!
Há quanto tempo não o lia ???!!!
Há tantos tantos anos que já nem dá para saber quando foi a última vez....
Mas agora, ao lê-lo, vieram-me à memória os tempos de infância, da escola primária, no tempo em que este poema era "leitura obrigatória".....
Foi bom recordar...
Obrigada Andrade.

Estrella Altair disse...

E muito gira, gosto dela....
un saudo

Memória de Elefante disse...

OS encantos e magias do fundo do mar decritos pelo olhar de um grande poeta!

Um beijo

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Um poema que me leva de volta à infancia, adorava e ainda hoja o sei de cor, lindo.

Deixo um beijinho
Sonhadora