Seguidores

domingo, 14 de novembro de 2010

Poetas da Nossa Terra




Solitário


Dizem que as mães querem mais
Ao filho que mais mal faz
Por isso te quero tanto
E tantas mágoas me dás

Perguntas-me o que é morrer
Meu amor, minha alegria
Morrer é passar um dia
Todo inteiro sem te ver

********************************

9 comentários:

Isa disse...

Bom Dia,Andrade! Sabes que ñ conhecia estes versos,tão ternos,do
nosso Zeca Afonso?
Beijo.
isa.

Tear de Sentidos I e II disse...

Bom dia! Que bom receber no Tear I um lisboeta!
Parabenizo pela excelente seleção dos poemas e músicas (adoro Zeca Afonso!)do seu blog.
Grata pelo comentário! Volte quando desejar!
Ainda quanto ao Zeca Afonso: tão combativo e lutador e, ao mesmo tempo, tão meigo e terno!
Abr!

poetaeusou . . . disse...

*
A morte saiu à rua num dia assim
Naquele lugar sem nome para qualquer fim
Uma gota rubra sobre a calçada cai
E um rio de sangue de um peito aberto sai
,
in-Zeca
,
abraço,
,
*

Mara disse...

Oi...Esses versos dizem muito.....
(...)
Morrer é passar um diaTodo inteiro sem te ver
Bjs

Sylvia Rosa disse...

EH ANDRADE,
HÁ DIAS QUE PARECEM ANOS.........
BJÃO AMIGO

Multiolhares disse...

lindo, assim fala um coração de mãe
beijinhos

Argos disse...

Olá

Zeca Afonso e como sempre bem escolhido.
Não conhecia estes versos, obrigado por partilhar connosco.

abraço

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Lindo este poema de zeca, não conhecia, mas gostei, como toda a obra que deixou.

Beijinhos
Sonhadora

Maria Clara disse...

Eu que o diga, que vivo long dos meus filhos que são o melhor do mundo para mim, perfeitos, nas suas imperfeições.
Zeca Afonso era único e deixou-nos o dever de o lembrarmos sempre.
Não morremos então...ouvimo-lo a cada diaparabéns pelo blog.
Kandandu
( abraço, em kimbundo, dialeto da minha terra - Luanda )