Seguidores

sábado, 16 de outubro de 2010

Poetas da Nossa Terra

Almeida Garrett


Almeida Garret

Este Inferno de Amar


Este inferno de amar - como eu amo!

Quem mo pôs aqui n'alma... quem foi?
Esta chama que alenta e consome,
Que é a vida - e que a vida destrói -
Como é que se veio a atear,
Quando - ai quando se há-de ela apagar?

Eu não sei, não me lembro: o passado,
A outra vida que dantes vivi
Era um sonho talvez... - foi um sonho -
Em que paz tão serena a dormi!
Oh! que doce era aquele sonhar...
Quem me veio, ai de mim! despertar?

Só me lembra que um dia formoso
Eu passei... dava o sol tanta luz!
E os meus olhos, que vagos giravam,
Em seus olhos ardentes os pus.
Que fez ela? eu que fiz? - não no sei;
Mas nessa hora a viver comecei...

Almeida Garret

10 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Este poema de Almeida Garret, é maravilhoso.
Sempre escolhendo muito bem os poemas.

Beijinhos
Sonhadora

Flor da Vida disse...

Um poema simplesmente magistral!!! Obrigada por compartilhar! Deixo a ti um abraço e meu carinho... Bjsss

Rosane Marega disse...

Belo!
Beijosss

Isa disse...

Dos poemas de Garrett de que mais gosto.
A força do Amor/Paixão!
Beijo.
isa.

Mara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mara disse...

Boa tarde, Zé!
Nossa...que lindo!

(...)
Era um sonho talvez... - foi um sonho -
Em que paz tão serena a dormi!
Oh! que doce era aquele sonhar...
Quem me veio, ai de mim! despertar?
(...)

Que mais dizer? Digo apenas:
Se o amor morar no nosso coração,aí ficará para sempre, para toda a eternidade...

Beijo...
Mara

romantic disse...

eu me deslumbreie...lindo!
saudades..daqui.

Pedro Luso de Carvalho disse...

Amigo,

Esse é mais um importante poeta português, com obras excelentes, como:

Um Auto de Gil Vicente, Romanceiro, Fôlhas Caídas, Viagens na Minha Terra; este, reli há pouco.

E outras tantas obras, como "Fábulas e Contos".

Grande abraço,
Pedro Luso.

LOURO disse...

Olá amigo Andrade!
Mais um lindo poema,desta vez Almeida Garret...Parabéns pela escolha!!!
Tenho andado um pouco,por falta de tempo,mas vou aparecendo sempre que posso.
Abraço
Lourenço

carmen disse...

este poema nao conhecia.
Belíssimo, vou postar no meu blog.
bj