Seguidores

terça-feira, 13 de abril de 2010

Poetas da Nossa Terra


Fim do Coito


Resposta a um Deputado do CDS na Assembleia da República


Já que o coito - diz Morgado -

tem como fim cristalino,

preciso e imaculado

fazer menina ou menino;

de cada vez que o varão

sexual petisco manduca,

temos na procriação

prova de que houve truca-truca.

Sendo pai só de um rebento,

lógica é a conclusão

de que o viril instrumento

só usou - parca ração! -

uma vez. E se a função

faz o órgão - diz o ditado -

consumada essa excepção,

ficou capado o Morgado.

Natália Correia

4 comentários:

Sonhadora disse...

Meu amigo
Lindo poema, Natália Correia, era impar.

Beijinhos
Sonhadora

Isa disse...

Há uns tantos,não muitos,poemas da Natália Correia sobre atitudes de
deputados!
Este foi uma excelente escolha.
Beijo.
isa.

Serge Cornillet disse...

Bonito blog. Gracias por tu visita.
Saludos,
Serge

Andreia disse...

Lindo querido!
Passando para te deixar um doce beijo na alma...