Seguidores

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Viagens na Nossa Terra


Castelo Do Bode

Dórdio de Guimarães

O tempo pasmou e parou em Castelo do Bode. No que outrora foi um vale

ameno das cercanias de Tomar, corre hoje o Zêzere contrariado
do seu

fluxo original espraiando-se em uma albufeira a que a
barragem dá um

sentido que serve o homem e não ofende.
A natureza primitiva nisto

alterada adaptou-se facilmente sem
amuos e fundou uma nova paisagem

e um novo passado,
que a muito custo percebemos artificial. Os valores

imutáveis de sempre permanecem e a água que aqui
discorre não deixa

de ser a água imorredoira e os pinhais e
eucaliptais que a bordam não

deixam de suspirar a sua firme eternidade.
A intervenção do homem em

nada afectou a vontade de Deus,
antes emprestou-lhe um gesto mais,

restaurou-lhe de tom
mais vivo um pormenor. (...)

»»»»»»»»»««««««««

3 comentários:

Anya disse...

So wonderful view !!!
Its a Beauty :-)

Isa disse...

Parabéns pelo retoque que deste ao teu blogue. Ficou bem e airoso.
A foto é estupenda.
O texto ñ conhecia.
Beijo.
isa.

Memória de Elefante disse...

Quando retorno aqui depois de um tempo sempre me deparo com alguma beleza.

Gostei do texto, pois não conhecia e a imagem belíssima!


Um abraço e bom domingo!