Seguidores

sábado, 21 de março de 2009

Joaquim Pessoa






OS DIAS




DA SERPENTE





VIAGEM


Provei o vinho de Cantanhede:
colheita de 67
Foi quando viajei para Trás-os-Montes
e os castanheiros

estavam em flor nas Beiras
e chovia desalmadamente.


Eu soube o teu nome durante essa viagem e que possivelmente

também as amendoeiras estariam floridas
no Vale da Vilariça

onde há uma primavera rigorosa e o rigor
era um vestido alegre tu disseste.


Espero por ti à saída do cinema.
Oh se tu viesses com a tua saia preta

e as tuas meias pretas e o teu ar sempre triste

beijer-te-ia as mãos e a boca e magoava

o teu peito contra o meu.


Gosto de acender os meus dedos na tua pele

como se fossem fósforos!


Já decidi: farei amor contigo

depois desta fita americana.


5 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

PARABÉNS AO DIA DO pAI E GOSTEI MUITO DA POSTAGEM AMIGO... UM GRANDE ABRAÇO DE CAINHO,
FERNANDINHA

Paula Raposo disse...

Quando leio alguns poemas eu fico a pensar como parece fácil escrever-se assim...porque é demasiado belo e simples, tão simples...muitos beijos e obrigada pela partilha de um Poeta fantástico!

Maria Emília disse...

Que ternura. Gostava de também conseguir fazer poemas de amor como este.
Um abraço,
Maria Emilia

Isa disse...

Onde ando eu com a cabeça?
Ñ é que ñ vi este poema?
De um Poeta de que tanto gosto?!
Pois é.Coisas que acontecem ao mais comuns dos mortais.
Bom domingo,Amigok.
Beijoo.
isa.

Isa disse...

Ñ ando noutro Planeta,ñ senhor.
Quando ñ percebo uma coisa, penso e repenso até descobrir.Fez-se luz.
Tinha visto a capa do livro.
Tentei entrar e nada.
Hoje consegui.Falha da net.Só pode.
Beijoo.
isa.