Seguidores

sábado, 24 de janeiro de 2009

Soneto de Joaquim Pessoa






AMOR COMBATE





Em pleno pós-25 de Abril, alguns




sonetos recuperados e da Época.




SONETO Anticolonialista


Ah Diogo! Ah Cão! Em que

Pretendes colocar o teu padrão?

El-rei morreu. As naus de clarear

são agora de um povo nosso irmão.



Dispensámos as balas e os escravos

e mais para diante navegámos.

Negreiros não. Dissemos sim aos cravos.

O mar não dói. E a terra não tem amos.



Ah Diogo! Ah Cão! Que resultado

esperavas deste povo a ver morrer

o seu corpo na farda de soldado?



Esta Nau do futuro há-de vencer!

Mas há cães que só ladram o passado

porque o presente é duro de roer!



1 comentário:

Flor ♥ disse...

Oi... Sou a Flor do Blog Interlúdio (http://interludioemflor.blogspot.com/) e vim retribuir e agradecer tua visitinha. Parabéns pelos poemas de Joaquim Pessoa!

abraços!